Lúcia Maria de Assunção Barbosa

Mobirise

"Português como Língua de Acolhimento: extensões e contradições sob a
perspectiva da superdiversidade, interseccionalidades e relações raciais."

Não é novidade o fato de que o ensino de Português para falantes de outras línguas (PFOL) vem ganhando destaque e visibilidade no contexto brasileiro. No Distrito Federal, a presença de numerosas representações diplomáticas de vários países garante, há muito tempo, um espaço - que não pode ser negligenciado - a essa prática. Mais recentemente, a cidade tem recebido imigrantes e refugiados de diferentes nacionalidades que, dentre outras demandas, reivindicam formação linguístico-cultural com o objetivo de tornar menos árida sua inserção em diferentes setores da cidade. Partindo dessa realidade e expectativa, minha proposta é apresentar, de forma crítica, algumas especificidades, significados e complexidades relacionadas ao ensino e à aprendizagem da Língua Portuguesa no âmbito da imigração contemporânea. As discussões serão feitas com base na atuação e em dados provenientes do Projeto de Pesquisa “PROACOLHER: Português Língua de Acolhimento”, coordenado por mim desde 2014. Meu objetivo é estabelecer diálogos entre os conceitos de Língua de Acolhimento (Barbosa, São Bernardo 2017), superdiversidade (Vertovec, 2007), interseccionalidade (Crenshaw, 2002) e reexistência (Souza,2002), dentre outros. Essa aproximação conceptual busca compreender as experiências de imigrantes e refugiados negros(as), residentes no Distrito Federal e entorno. Meu ponto de partida Parto do princípio de que o conhecimento (ou não) da língua portuguesa nem sempre será – diferentemente do que vimos defendendo - uma garantia para o acesso/inserção em atividades laborais ou formativas. Esse aspecto, segundo estudos efetuados por Castellotti, Huver e Leconte,( 2017), pode ser uma forma de disfarçar (ou ocultar) outras realidades silenciadas e socioculturalmente marcadas nesse novo contexto. Pretendo discutir de que maneira particularidades - como o fato de serem plurilíngues - despertam pouco interesse e não são tomadas como fatores positivos e importantes que podem, no mínimo, facilitar a chegada a essa nova/outra língua-cultura que se pretende acolhedora e eficaz.

Doutora em Estudos Portugueses, Brasileiros e da África Lusofônica pela Universite Paris VIII (2005). Fez estágio Pós-doutoral na Universidade Federal do Ceará, com visita acadêmica na Universidade de Aveiro (Portugal) (2016-2017). Mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada pela UNESP - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Licenciada em Letras (Português - Inglês) pela Universidade Federal de Mato Grosso (1984). Professora Adjunta da Universidade de Brasília (UnB), onde leciona Português para Estrangeiros. É docente permanente dos Programas de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (UnB) e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Estadual de Mato Grosso (UNEMAT). É Pesquisadora da rede de pesquisa internacional: RIdER (Reseau International d'Études Romanes). É membro do Conselho Nacional de Imigrações (CNIg) e da Comissão Técnico-Científica do Celpe-Bras. É coordenadora da Cátedra Sérgio Vieira de Mello (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refúgio - ACNUR). Atuou como professora visitante/convidada na Université Paris VIII (França). Desde 2014 coordena o Projeto de Pesquisa PROACOLHER: Português Língua de Acolhimento, na Universidade de Brasília. Faz parte do Observatório de Português Língua Estrangeira/Segunda Língua - OBsPLE-PL2-CNPq). Atua principalmente nos seguintes temas: Português para Estrangeiros (PLE); Português Língua de Acolhimento (PLAc); Português como Língua Não Materna (PLNM); Formação de Professores, Migrações internacionais Contemporâneas; Plurilinguismo, Cultura e ensino de línguas, Lexicultura; Interculturalidade Crítica, Educação para as relações étnico-raciais.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5030878430187815 

Choose from the large selection of latest pre-made blocks - full-screen intro, bootstrap carousel, content slider, responsive image gallery with lightbox, parallax scrolling, video backgrounds, hamburger menu, sticky header and more.

Sites made with Mobirise are 100% mobile-friendly according the latest Google Test and Google loves those websites (officially)!

Mobirise themes are based on Bootstrap 3 and Bootstrap 4 - most powerful mobile first framework. Now, even if you're not code-savvy, you can be a part of an exciting growing bootstrap community.

Choose from the large selection of latest pre-made blocks - full-screen intro, bootstrap carousel, content slider, responsive image gallery with lightbox, parallax scrolling, video backgrounds, hamburger menu, sticky header and more.

© Copyright 2020 Mayombe - All Rights Reserved

The site was designed with Mobirise